O que é a vida?

O que é a vida senão uma sucessão de acontecimentos malucos, reflexivos e emocionantes?

Só olhe para baixo para saber onde está pisando. Orgulhe-se apenas de ser quem é, e erga a sua cabeça sempre!

Por muito tempo eu pensei que a minha vida era muito pacata, nada de novo ou desafiador ocorria, e foi a partir desse mantra, que tudo começou a mudar. Mas mudou aqui dentro de mim. A partir do momento em que eu parei de só conseguia enxergar com cabresto o caminho em que eu trilhava, a reviravolta foi imediata.

Compreendi, através de uma busca profunda pelas minhas verdades e avaliando com carinho cada etapa da minha história, que eu tive a oportunidade de viver experiências que nem havia me dado conta. Que naquela tola impressão de não ter vivido o suficiente para deixar boas lembranças, eu comecei a escrever uma linha do tempo detalhada de episódios memoráveis e outros nem tão impactantes assim, ao meu ponto de vista inicial. Eu falo bastante sobre isso no texto “A Escrita como Terapia” que você pode acessar aqui.

Abaixo dos seus pés, apenas folhas, o chão, o mar, a areia e nada mais…

Eu, que sempre tive uma dificuldade tremenda em perdoar, pedir desculpas e facilmente guardava rancores de mil anos atrás, me dei conta de tanta sacanagem que fiz comigo mesma apenas pelo fato de não estar conectada com meu coração e agir única e exclusivamente com meu orgulho e prepotência por muitas situações. Aliás, eu ainda tenho bloqueios para me expressar emocionalmente, e escrevi sobre minhas sabotagens no texto “Medo de falar em Público”.

E não é nada fácil admitir isso, mas é libertador e reconfortante. Fazer essa limpeza interna é como limpar a estrada cheia de neve para os carros passarem (essa é a realidade que vejo atualmente): permite que o transito de coisas boas esteja disponível a fluir. E mesmo no transito haverão acidentes e possíveis complicações, como na vida.

O mais bacana é compreender, aceitar, se perdoar sinceramente por cada etapa vivida, por mais sofrida que ela possa ter parecido, e agradecer. Essa é a nossa jornada, a história que apenas cada um de nós pode contar e viver. E deixar de lado o vitimismo para observar de fora, após já vivida aquela experiência, nos traz paz e prepara para novos caminhos.

Qual o caminho que Deus nos reserva? Não sabemos, mas a sensação de não sentir culpa, vergonha ou medo, e se entregar de corpo e alma, como tiver de ser, é um desafio que liberta. Fácil não é, nem um pouco. Cada um tem sua batalha, suas inseguranças e sonhos. Então não deixe de lutar, acreditar ou sonhar, mas esteja aberto para o que o Universo tem a te oferecer.

Que vivamos intensamente cada minuto de nossas vidas. Aqui na Terra, nessa vida, não somos eternos, mas novas vidas virão (eu acredito, mas sem discussões acerca do tema) e a aceitação do nosso destino nos transformará para sempre, e deixará tudo mais leve.

Eu te amo, Sinto Muito, Me perdoe, Sou grata! (Mantra do H´oponopono, que eu fortemente indico a você conhecer)

Um abraço cheio de esperança e fé!

Um bocado de fé não faz mal a ninguém!!!

Autor: Mãe do Ben

Descobriu que é hora de levantar vôo, e agora carrega seu maior Ben nos braços, dando asas à felicidade rumo a viagens inesquecíveis mundo afora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *